escre(VENDO) Poema

Ceguidão, sequidão

Março 2, 2015

Tão fácil me esquecer
Tão fácil te esquecer
Viver numa rotina que faz o tempo se esvair
Que faz sermos seres cansados e esquecidos
Cansados da vida, das pessoas
Esquecidos de nossa essência, esquecidos das coisas belas e simples da vida
Matam nossa esperança, matam nossa vontade de viver
Fomos feitos pra algo tão perfeito e nos contentamos com o raso
Afinal, nem temos tempo para sair da superfície
Quanto mais ir mais profundo
Aceitamos ser “robôs” da sociedade
De repente estamos como “animais” sendo tocados em vagões super lotados
Olhos vazios, sem disposição para pensar a vida
Corpos dilacerados sem tempo até para nossas crianças
Pensamentos vazios que não fazem questão de expressar sentimentos
Somente aqueles mais primatas, já que não é preciso muito para esbravejá-los
Palavrões, grosseria, ódio que corre e escorre em palavras, em olhares, em buzinas
Em abraços mal apertados, em beijos silenciados e apertos de mãos sem intenções
Os vizinhos por anos, estranhos, dividem-se paredes, conversas de elevador
Mas não se dividem vidas, por que o que sobrou de nossas vidas?
Nem pra nós mesmos há vida, quanto mais para reparti-la
Ficamos cegos, vazios
Lembro-me de Saramago:

Cegueira também é isto, viver num mundo onde se tenha acabado a esperança.

“Ao mesmo tempo em que vemos o colapso da civilização, um grupo de internos tenta reencontrar a humanidade perdida. O brilho branco da cegueira ilumina as percepções das personagens principais, e a história torna-se não só um registro da sobrevivência física das multidões cegas, mas, também, dos seus mundos emocionais e da dignidade que tentam manter. Mais do que olhar, importa reparar no outro. Só dessa forma o homem se humaniza novamente, voltando a perceber como é doce e suave o cheiro da chuva,o quão valioso é um abraço sincero em um amigo,o sentido de viver em grupo,um mundo cego,porém altruísta,onde chorar não é vergonha,ter medo é uma dádiva,e viver é mais humano. Distante da rotina vagabunda de um cotidiano medíocre que nos habituamos a viver infelizmente. Mas que graças à José Saramago, a cegueira nos fez enxergar!”

Que enxerguemos novamente
Lembremos de quem somos
Que nossa essência exale novamente
Enxerguemos o outro, como nós mesmos
Que o amor nos liberte, que o Amor nos transforme
E que nos leve à melhor versão de nós mesmos!

“A escuridão não pode expulsar a escuridão, apenas a luz pode fazer isso. O ódio não pode expulsar o ódio, só o amor pode fazer isso.”
Martin Luther King

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply