escre(VENDO) Insights

[Sim, eu tenho depressão – Parte 3] Parando de tomar antidepressivo e sem terapia!

setembro 28, 2016

Pois bem, depois de um ano de tratamento com remédio e terapia. O psiquiatra começou diminuir a dose do remédio pela melhora que eu estava apresentando e eu comecei esquecer de tomar o remédio, quando vi já estava sem tomar. Mas tudo muito rápido e sem indicações do médico. No começo parecia que estava tudo ótimo, fiquei feliz que estava sem remédio e parecia que a vida seguia bem.

Só que o tempo foi passando, passando e passando e de repente me vi de novo em meio às tristezas da vida, desmotivada e comecei me isolar de novo. Nesse meio tempo estava desempregada, dormindo até tarde, ficando de pijama o dia todo, procurando emprego adoidado. E chegaram os dias em que eu ficava o DIA TODO na cama e meus pais falando pra eu sair do quarto, da cama e eu me perguntando: será que eles acham que eu estou com sono mesmo? Eu estou sem vontade de viver! E quando eles não ficavam em casa era melhor ainda, porque eu podia curtir minha tristeza (parece loucura, mas era o que eu sentia!). E no meio disso tudo eu tinha meus altos e baixos, mais baixos do que altos. Até por estar um tempo sem emprego fixo, sem dinheiro, sem perspectiva, e às vezes até sem motivos por estar triste, eu vivia pensando: tenho tanta coisa boa na vida, tem tanta coisa acontecendo, tenho mais motivos pra sorrir do que pra chorar e vivia nessa cobrança. Mas essas tristezas me tomavam como um tsunami que vem sem a gente perceber direito.

Dizem que a gente precisa entender qual é o gatilho que faz essa tristeza toda aparecer, eu acho muito difícil perceber os gatilhos, às vezes dá pra compreender e outras tantas, a tristeza só chega de fininho! Ah! E depois de um tempo à procura de um emprego, consegui. Mas e então, a minha questão era: chegar no horário no emprego, conseguir sair da cama pra ir trabalhar, porque por muitos dias, eu só queria ficar em casa e odiava o trajeto pro trabalho. (no próximo post conto sobre minha saga no emprego novo).

Por que eu vim falar que parei de tomar o remédio? Eu não sei se isso acontece com todos, mas tenho certeza que a melhor coisa a se fazer não é parar de tomar o remédio do nada, isso deve ser acompanhado. Então, se você toma remédio, por favor, leve isso a sério! Ele pode fazer toda diferença nos seus dias e continue seu processo de terapia, é fundamental para o autoconhecimento. Eu parei com meu tratamento por completo e isso não foi nada bom pra mim, as coisas devem ser feitas no tempo certo, então, não interrompa um tratamento por conta. SÉRIO!

Mas me diz, e você? Já começou tomar remédio e parou? Já teve recaídas? Problemas no trabalho por não conseguir levantar da cama, chegar no horário e ser produtivo? Compartilhe comigo suas histórias. É bom saber que não estamos sós e que todos nós temos momentos complicados, mas melhor ainda é lembrar que tudo sempre passa!

🙂

IMPORTANTE:

Não importa quão ruim a sua vida esteja, tomar os passos certos e conversar com as pessoas certas fazem os dias de cão passarem. Eu não diria que sou grato ao cachorro preto, mas ele tem sido um professor incrível. Ele me forçou a reavaliar minha vida, aprendi que ao contrário de correr dos meus problemas, devo abraçá-los. Quem sabe o cachorro preto faça sempre parte da minha vida, mas ele nunca será a fera que já foi. Se você está com problemas, nunca tenha medo de pedir ajuda. Não existe vergonha alguma em fazê-lo. A única vergonha é deixar a vida passar.

 

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply