escre(VENDO)

[Sim, eu tenho depressão – Parte4] Como cometer o mesmo erro duas vezes com antidepressivos

Março 30, 2017

Eu estava chegando todo dia 20min, 30min atrasada no trabalho, alguns dias eu não conseguia levantar da cama, então era aquele turbilhão de pensamentos sobre o que fazer: inventar uma doença, ir ao PS, ter piriri psicológico? Afinal, não podia falar a verdade logo no primeiro mês, eu tinha vergonha. (Igualzinho esse site ilustra: thaisa.itch.io/rainy-day)

Um dia falei com os donos da empresa sobre o real motivo dos meus atrasos e das minhas faltas, eles compreenderam e me ajudaram, pagaram uma consulta com um psiquiatra. Foi muito bacana da parte deles! Fui até o médico, contei do meu histórico e chorei um monte, tinha voltado à fase do choro. O psiquiatra me falou: sua mãe te fez de porcelana, você é muito sensível, mas precisa aprender a lidar com essas coisas e disse que o que eu tenho é depressão endógena, que não tem uma real causa, mas é um lance químico mesmo. Então me receitou dois remédios: um anti-depressivo e um pra equalizar os altos e baixos na minha rotina.

Comecei a tomar os remédios, passei bastante mal. No primeiro dia tive até alucinações, mas depois foi funcionando bem e fui me sentindo mais motivada, menos chorona, isso durou alguns meses, porque o remédio começou me fazer mal de novo, comecei passar muito mal quando tomava e acabei que parei de tomar por vez e meio que “fingia”pras pessoas que eu estava tomando, me perguntavam e eu dizia que estava certinho. Não preciso nem dizer o que aconteceu NOVAMENTE, né? Sim, essa sou eu, uma desistona do caramba. :/ Comecei a ficar mal de novo, sem vontade de viver e aquele papo todo que eu já estou de saco cheio. E dessa vez fiquei com altos e baixos bem estranhos, os baixos não eram tão ruins e os altos mais constantes, então foi uma fase melhor, não tão triste, porque eu já aprendi alguns gatilhos que me fazem ficar mal, já aprendi a sair um pouco do buraco (apesar dos dias que quero ficar enfiada na caverna).

Como estou hoje?
Queria terminar essa série dizendo que aprendi a lidar com as tristezas da vida, que aprendi o segredo da felicidade e que os remédios super me ajudaram, que a terapia mudou a minha vida. Mas infelizmente eu resolvi voltar com os remédios essa semana só, e ainda não estou fazendo terapia (por falta de grana). Yes, shame on me! Espero que isso não desanime você, mas que sirva de exemplo: se você está no meio de um tratamento, não seja babaca como eu e pare de tomar os remédios, okay?

Alguns dias eu acho que a vida é totalmente uma merda e não importa eu pensar nas melhores coisas que fazem parte da minha vida, porque a tristeza me cega de um jeito desesperador. Mas, eu sei que aquilo vai passar, porque aprendi aos poucos a sair dessa ilusão, desse vício na tristeza. E quando tudo estiver assim, obscuro, a melhor coisa é se lembrar de coisas que nos dão esperança, seja a companhia de alguém, seja um hobbie, seja falar com Deus, seja caminhar ou sei lá o que possa te satisfazer, talvez você ache que nada vai te satisfazer, mas tenha fé, você vai conseguir! Aos poucos você aprende a decifrar sua mente. Hoje meus dias estão melhores, comecei a sonhar novamente, apesar dos altos e baixos, estou contente porque tenho tido mais altos do que baixos. 🙂

E eu espero com todo o coração que essa série tenha falado com você de alguma forma! Aliás, você também teve algum problema tomando os remédios ou só eu? Me conta sua história e se quiser compartilhar do seu processo, fala comigo, me manda um inbox.

 

 

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply